.

Engravidei com a glicada em 10,9%,estamos feliz e nos dedicando por melhores glicemias-Em breve teremos um baby

|
Meu nome é Dalila, tenho 31 anos, casada há 5 anos e sou funcionária pública.

Descobri o Diabetes Tipo I há 22 anos, uso o SICI (bomba de insulina) da Medtronic, tenho hipotireodismo (uso Puran) e tomo também Somalgin Card, pois tive um AVC há 2 anos, devido ao longo período tomando anticoncepcional oral, após esse episódio coloquei DIU de cobre.

No início do diagnóstico, usava apenas a insulina NPH, não tendo sucesso. O médico que me acompanhava, em muito me desestimulava, dizia que eu iria morrer logo, pois não cuidava do diabetes, ele não media palavras, detalhe eu tinha 9 anos de idade,desde de criança ouvia palavras horríveis sobre a doença que tenho...

Não conformada, minha mãe pâncreas, foi a procura de outros médicos em cidades maiores, e encontrou. Iniciei em um novo tratamento, trocamos de insulina e passei a usar, Lantus e Lispro. Deu certo, porém a fase não ajudou, escola, amiguinhos comendo doces, eu também queria e comia. Comia escondido, lembro que guardava as embalagens dos doces nos buracos do assoalho para que meus pais não vissem.

Tive alguns momentos de rebeldia na adolescência, não sofri preconceito, mas queria ser como os demais, beber sem preocupações, não ter certas preocupações que nós diabéticos temos.

Os anos seguiram e aos 25 anos o meu médico sugeriu o uso da bomba, na hora topamos e está dando super certo.

Tenho momentos de rebeldia e revolta, daí não há método algum que resolva,então não posso culpar meu tratamento. Não tenho sequelas, acredito que por fazer acompanhamento médico assíduo,embora meus controles não seja um dos melhores.

Minha equipe médica é excelente, composta por cardio, endócrino, nefro, gineco, oftalmo, neuro e vascular.

Em agosto decidimos tirar o DIU, tendo em vista que na maioria dos casos no uso contínuo de métodos contraceptivos a mulher demora a  engravidar, acreditávamos que em um ano eu ficaria grávida e neste período minha glicada iria melhorar, eu estava disposta a baixar a glicada, mas em setembro, no mês seguinte, descobrimos a gravidez.

Embora a glicada não estivesse em seu melhor valor, estando 10,9%, ficamos muito felizes por nos tornarmos pais. Não imaginávamos que seríamos pais tão rápido, estamos tendo todos os cuidados necessários para que tudo corra muito bem. Estou gestante de 10 semanas, minhas glicemias estão melhorando muito, estamos ajustando a basal pois tenho tido hipo de madrugada e hipers pela manhã. 

Faço meu pré - natal no sistema privado, com meu gineco de confiança, que não é de alto risco, porém quando ele tirou meu DIU, perguntei a ele se me acompanharia, já que minha gestação seria de alto risco, e a resposta dele foi simples: "não tenho medo de bicho papão". Ali selamos a dura jornada.



Deus tem sido tão misericordioso conosco, dando-nos um filho e condições para que ele se desenvolva bem, só tenho a agradece-lo por sua bondade.

Deus tem sido tão bom, que nos deu um grande livramento no dia 05-12-2017.Indo trabalhar, sofri um acidente de moto, onde um carro em alta velocidade me atingiu me jogando no chão, a moto rolou longe, parou a aproximadamente 30 metros de distância de onde eu estava. Enquanto a moto "voava" a única coisa que pensava era: matei meu filho. Ao cair no chão, por um milagre de Deus, viva e consciente, a única coisa que pedia era para salvar meu filho. Chegando ao hospital, toda ralada, com corte na cabeça e o lado direito do corpo paralisado, eu só queria saber se meu filho também havia resistido. Ao fazer a ultrassom e ouvir os batimentos dele(a) ali eu só orei a Deus, agradecendo o milagre. Nem a  placenta descolou, colo do útero permaneceu fechado. Estou vivendo um momento bastante delicado, com muita dor, andando de andador, não conseguindo dormir, mas o milagre da vida que suportou uma pancada violenta cresce dentro de mim, com diabetes, hipos, hiper e amor.


Deus é bom! E eu estou aqui fazendo a minha parte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário