.

Tentando equilibrar e cuidar das minhas atuais demandas: Diabetes e Maternidade

|

Oi pessoal!

Meu nome é Camila, tenho 21 anos, sou casada (moro junto rs),atualmente não trabalho, tenho diabetes Mellitus Tipo 1 há 15 anos. Faço meu tratamento pelo SUS, uso as insulinas NPH e Regular, as aplico com seringa.

Era criança e não lembro muito bem sobre o início do meu diagnóstico. Mas me recordo de aprontar demais comendo tudo o que não podia. Vivia descompensada a ponto de ser internada por ter meu fígado afetado, o mesmo inchou demais e fiquei bem prejudicada.

Confesso que tenho muita dificuldade em me cuidar e levar o tratamento a serio. Hoje estou melhor do que já estive, mas tenho plena consciência do quanto preciso melhorar... Não é fácil!



Já usei inúmeras insulinas na tentativa de ter um melhor controle (Lantus, Humalog, Levemir, NPH e Regular), com dosagens fixas e contagem de carboidratos, mas minha rebeldia em não fazer a contagem de carboidratos adequadamente me impediu de continuar com este tipo de tratamento, me fazendo voltar para as dosagens fixas. Hoje voltei a usar a NPH e Regular devido a precariedade de onde moro. Estas são as insulinas mais acessíveis no momento.

Não tenho nenhuma sequela do mau controle glicêmico. Graças a Deus! Minha família sempre me incentivou a me cuidar. Mas nunca me conformei em ter diabetes. Até hoje não controlo muito, pretendo voltar a me cuidar o mais rápido possível.

Embora minha gestação não tenha sido planejada,foi muito bem aceita e amada. Quando engravidei minha glicada estava 10%. Totalmente fora dos padrões esperados,mas de maneira geral tudo foi correndo bem. Fiquei internada pelas hipos que tive e algumas descompensações.



Miguel nasceu no dia 31 de maio de 2016, parto cesárea, com 36 semanas, 3.940kg e 46,5cm. Um bebezão! Ficou 16 dias na UTINeonatal, pois nasceu com macrossomia e pegou uma sepse.Mas deu tudo certo!

Infelizmente não consegui amamentar, Miguel rejeitou e de forma alguma quis mamar no peito.

Hoje meu príncipe tem 2 anos de idade. Tenho muita dificuldade conciliar a maternidade e o diabetes. E este é um dos motivos que atualmente me impede de levar o tratamento a sério.



Sei que deveria me cuidar mais, por mim, por meu filho,pela minha família  e por todos que me amam. Estou neste momento me fortificando, empoderando e tentando aceitar a doença. Embora isso já devesse ter ocorrido, por aqui ainda não ocorreu, mas há em mim a certeza de que vou conseguir.

Talvez meu depoimento não fale de grande responsabilidade com o tratamento ou modelo a ser copiado, porém me considero uma resiliente e tenho muito o que agradecer a Deus por nunca ter permitido que algo pior me sobreviesse.


Se hoje eu pudesse deixar uma mensagem a todas as mulheres com diabetes que desejam engravidar eu diria: A fé me possibilitou a maternidade, assim como poderá fazer o mesmo com vocês. Mas não percam o foco em cuidar-se para que tudo lhes corra bem, não só na gestação como em todos os dias. Neste momento esta não é minha realidade, e até por isso lhes aconselho,mas sei que CONSEGUIREI!

Agradeço minha família, esposo e amigos pelo amor,paciência,por cuidarem e acreditarem em mim.

Beijos a todas




Nenhum comentário:

Postar um comentário