.

O susto que se tornou uma benção

|
Olá, sou Mariana , tenho 28 anos, sou professora e tenho Diabetes Tipo I há 23 anos, casada com Robson, mãe do Gabriel de 6 anos. 

Sempre sonhei em ser mãe, ouvi muitos NÃOS, muitos médicos e pessoas diziam que “Diabética engravidar, é a mesma coisa que sentença de morte, a criança pode nascer com múltiplas deficiências ou síndromes e que mais da metade dos bebês de diabéticas morriam durante a gravidez sem qualquer problema aparente apenas por conta da oscilação da glicemia".

Em 2010, noivei e iniciei um novo tratamento no Centro de Diabetes de Curitiba, tive uma mudança total no tratamento, com insulina nova e nova visão do Diabetes.

Em Novembro de 2011, comecei a me sentir indisposta, muita náusea, glicose sempre baixa, minha menstruação estava atrasada há 2 meses; trabalhava em uma escola de Educação Infantil como auxiliar da turma do pré 2 e pré 3.  Minhas colegas de trabalho e da faculdade insistiam para que eu fizesse um exame de gravidez, mas eu me recusava, dizia que não era nada, que logo iria melhorar. 

Uma certa tarde,a minha coordenadora me viu muito mal e disse que me levaria para casa, sempre foi uma pessoa que me ajudou muito, sempre muito compreensiva e preocupada, me disse: “Mari, vai no médico e veja o que acontece com você, não é normal você estar assim.”

Fui na ginecologista junto com minha mãe e a médica me examinou, disse que não era nada, que minha menstruação estava atrasada devido ao meu estado emocional. A tal médica fez exame, colheu material do meu útero e me mandou para casa, minha mãe muito assustada não falou nada.

No dia seguinte ainda muito mal, fui na Policlínica onde estava o médico que foi o anjo naquele momento, ele me examinou, fez algumas perguntas e me encaminhou para uma ultrassom de abdômen total, inclusive uma ultrassom de trompas, ovários e útero. 

Na hora da ultrassom o médico me disse: “Então Mariana, preparada para ser mãe?”  

E disse para minha mãe:” E você mãe, preparada para ser avó?” 

Na hora não tive palavras a única coisa que disse foi: “Ah!! Sério Doutor?”

Ele muito brincalhão me respondeu : “Sim, escute que vou aumentar o volume.” 

E lá estava, um coração hiper acelerado, com 9 semanas e 5 dias (2 meses e meio de gestação).

Nunca me esqueço as palavras do médico: “Mariana, erga as mãos para os céus e agradeça todos os dias pela vida do seu filho, pois você poderia ter abortado, mas esse bebê é o teu milagre da vida, a partir de agora você terá que se cuidar e parar de trabalhar com educação infantil, pois exige cuidados e acompanhamento frequente.”

Ai a minha luta, se tornou uma batalha diária, matar um leão por dia, pois as pessoas somente me passavam coisas ruins sobre mães diabéticas, nunca me diziam “Vai dar tudo certo!” “Calma seu bebê vai ser perfeito”. 

Tive um apoio imenso da minha madrinha, das minhas tias, tio, dos meus pais, de alguns amigos e principalmente das minhas colegas de trabalho e da minha coordenadora. 

Contei para meu noivo (meu atual esposo) por telefone o que estava acontecendo, ele muito emocionado e preocupado somente respondeu que estava preparado para tudo, inclusive para matar um leão por dia junto comigo e com nosso bebê. 

Foi aí que apareceu outro anjo na minha vida, um ginecologista e obstetra maravilhoso, dedicado e preocupado Dr. Ricardo Mazetto juntamente com o meu outro anjo da guarda, o qual era meu endocrinologista naquele tempo Dr. André Gustavo Vianna do centro de Diabetes de Curitiba, graças a essa super equipe, minha gestação foi tranquila, minhas glicemias ficaram mais alinhadas do que normalmente, nem os médicos acreditavam como minhas glicemias se mantinham tão bem. 

Soubemos que o parto seria cesariana, mais uma preocupação com cicatrização, anestesia, enfim, rezávamos e pedíamos a Deus que se ele nos mandou esse presente que era nosso bebê, ele que estivesse ao nosso lado no dia da cesárea. 

O parto pelos ultrassons seria dia 21 de Junho de 2012, mas no dia 16 de Junho de 2012, o meu grande milagre da vida resolveu estourar a bolsa, mais um susto, fomos para o hospital as 19 horas, quando foi 21 horas o meu grande Anjo Gabriel nasceu, mostrando e provando a todos que ele faz jus ao nome que escolhemos “GABRIEL – ENVIADO DE DEUS”, meu filho nasceu com 3.697 kg e 49 cm, super saudável. Quanto a minha cicatrização e recuperação? Foram maravilhosas, pontos secos, cicatriz super fininha sem qualquer problema.


Hoje digo que minha gravidez não foi planejada por mim e pelo meu esposo, mas SIM, ela foi planejada por Deus, pois ele sabia que aquela era a hora, aquele era o momento que eu teria o meu milagre da vida, o meu companheiro de luta, o meu Gabriel. 

Chorei muito e choro sempre contando a minha história de como gravidez é possível SIM pra Diabéticas. Meu filho está aípra mostrar isso, que com um bom controle, uma equipe médica, tudo é possível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário